Derinho Oliveira diz que o Miss Bahia “é um jogo de cartas e cifras marcadas”

Desabafo

  • 7 de fevereiro de 2012
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Crédito: Divulgação

 

DERINHO OLIVEIRA – CARTA ABERTA AO POVO BAIANO

MISS BAHIA: 20 ANOS DE DECEPÇÃO, SOB A COORDENAÇÃO DE ANTONIO MIGUEL!

 

                    Primeiramente, cumpre-me apresentar-me: Eu sou DERIVALDO OLIVEIRA (Derinho), tenho 38 anos de idade, sou Bacharel em Turismo, Pós-Graduado em Gestão e Planejamento de Eventos e Bacharelando em Publicidade e Propaganda.  Dos 38 anos bem vividos, graças a Deus, 20 deles foram dedicados profissionalmente ao Mundo Miss, por uma identificação de longínqua datas. Rememorando, aos sete anos de idade e vi a minha irmã participar do Concurso Miss Paulo Afonso e sagrar-se vice-campeã. Naquela época, despertou em mim uma curiosidade imensa e já me via promovendo os certames. Com o passar dos anos, o amadurecimento da idéia se fez presente nos meus pensamentos e, nos idos de 1992, o Lions Clube de Paulo Afonso – que realizava o Concurso Miss Paulo Afonso – e os órgãos dos nosso município, profundamente decepcionados com o que presenciaram na eleição de Miss Bahia no ano de 1991 (já na gestão do Sr. Antonio Miguel), não tendo mais interesse em levar a Miss Paulo Afonso para o Concurso Regional,  convidou-me para levar à frente aquele propósito, a partir de então. Foi o momento, a oportunidade que eu precisava para colocar o meu sonho em prática. Aos dezoito anos de idade, abracei a idéia com afinco e promovi, em 1992, o Concurso Miss Paulo Afonso, com o apoio inconteste da minha família e, em especial, do meu saudoso pai, Dernival Oliveira. Tudo saiu da maneira como eu imaginava e não tive muitas dificuldades, primeiro pelo apoio inconteste dos órgãos públicos e da iniciativa privada cidade; segundo, por ser o município de Paulo Afonso um celeiro de belas mulheres – e isto se estende até hoje.

               Em 1990, ainda sob a Coordenação do Lions Clube de Paulo Afonso, a cidade viu pela primeira vez a sua candidata ser coroada MISS BAHIA. LUCIANA PIONÓRIO foi eleita em um ano onde o Miss Brasil Universo não conseguiu ser realizado (indo representar a Bahia no Miss Brasil Mundo), mas mesmo assim conseguiu dar visibilidade e projeção ao Mundo Miss, e isto também contou muito no momento em que resolvi aceitar o convite do Lions Clube, após várias entidades sociais se decepcionarem com o Sr. Antonio Miguel (que produzia a candidata que ficou na segunda colocação) e já demonstrava o seu caráter e a forma mesquinha de conduzir o seu trabalho, tentando de todas as formas prejudicar a candidata pauloafonsina – sem êxito algum: LUCIANA PIONÓRIO ganhou o Miss Bahia de ponta a ponta, ainda arrebatando os títulos de Miss Elegância e Melhor Traje Típico.

image
Reportagem do Jornal Massa de Salvador

               Após este início de fase negra e com o Lions Clube de Paulo Afonso e mais diversos segmentos da sociedade de Paulo Afonso não mais querer realizar o certame em nível municipal, assumi verdadeiramente o MISS PAULO AFONSO. Independente da Miss Paulo Afonso eleita não participar do Miss Bahia, demos continuidade nos anos seguintes à eleição da Miss Paulo Afonso que, mesmo sem participar do certame estadual, se fazia presente em outros eventos, se projetando e dando valorização e respeito ao Concurso.  Em 1992, já tinha conhecimento do comportamento inadequado e vil do Sr. ANTONIO MIGUEL, que não media esforços para fazer eleger-se a candidata da sua preferência, utilizando-se das artimanhas mais esdrúxulas e pernósticas possíveis. Mesmo assim, continuei alimentando o meu sonho e o meu trabalho foi se desenvolvendo com muita garra, determinação e respeito às candidatas, aos seus familiares e ao povo da Bahia, como um todo. No período compreendido entre os anos de 1993 e 1999, o Sr. Antonio Miguel optou por me "destituir" e o município passou a contar, nesse período, com candidatas indicadas pelos mais variados segmentos da sociedade. Mesmo assim, não deixei de realizar o Concurso em Paulo Afonso, mesmo não podendo levar a candidata eleita para o Miss Bahia. Foram anos de muita tristeza e decepção, porque vi meu sonho, meu trabalho e minha responsabilidade serem desprezados, descartados e desrespeitados, sem quaisquer fundamentação ou justificativa. Tudo isto apenas pela soberba e vaidade do Sr. Antonio Miguel, que já se demonstrava incomodado e até ameaçado pelo brilhantismo e sucesso do meu trabalho.

               O ano de 2000 chegou e, com a chegada do novo século, a responsabilidade de eleger a mais bela mulher de Paulo Afonso novamente voltou às minhas mãos: o sonho não tinha acabado, Antonio Miguel não tinha conseguido frustrar os meus ideais e concepções; a realidade agora apontava para períodos férteis, com empenho,  garra e dedicação – que sempre foram a tônica do meu trabalho – nessa nova caminhada. Dos idos de 2000 até os dias atuais, estamos à frente do Concurso Miss Paulo Afonso e, em 2010, o Brasil viu ser eleita MISS BAHIA 2010 mais uma pauloafonsina – RAFAELA MARQUES. Todo o nosso trabalho verdadeiramente valeu e tem valido à pena. Competir é preciso; sagrar-se vencedor é o ápice dos nossos desejos, e a vitória de RAFAELA MARQUES nos propulsou em nos empenharmos mais e mais, com coragem e determinação. Porém, caros amigos, nesse período, as coisas não foram fáceis, no que concerne ao certame de MISS BAHIA: Antonio Miguel esteve todo esse tempo à frente da Coordenação e sempre trabalhando de forma nefasta e cruel. Absurdamente, esse senhor intervém no resultado do concurso e a eleita geralmente é aquela candidata da sua preferência ou da preferência que "alegre o seu bolso". Para se ter uma idéia, o concurso vem se deteriorando ao longo dos anos, sob a coordenação desse senhor, que o número de candidatas e coordenadores participantes é reduzidíssimo, o que reflete na descrença do seu trabalho. Nos últimos quatro anos, a bancada de jurados é praticamente a mesma: quatro senhoras se fizeram presentes nestes últimos quatro anos, chegando até a votarem errado. Quantas saudades da época em que o Concurso era promovido pela TV ITAPOAN, sob a responsabilidade da D. Irene Irujo! Naquele tempo, a organização, os cenários, figurinos, enfim, tudo era pautado no respeito e na magia que envolve os concursos; não se temia voto de jurado, porque eram pessoas sérias, honestas e de muita responsabilidade, que objetivavam tão somente eleger a mais bela e mais preparada baiana para nos representar no Miss Brasil.

               O meu desabafo, através desta carta-repúdio, não acontece por acaso. Eu sou baiano e nasci numa terra que orgulha a todos pelas belezas naturais e a alegria do seu povo. Fazendo uma analogia no que tange a beleza, a BAHIA tem um papel de destaque no mundo miss: o nosso estado tão bem esteve representado nos certame nacional e eternizou nomes como os de MARTA ROCHA (Miss Brasil 1954 e segunda colocada no Miss Universo), MARIA OLIVIA REBOUÇAS (Miss Brasil 1962 e quinta colocada no Miss Universo) e a espetacular MARTHA VASCONCELLOS (Miss Brasil/Miss Universo 1968). Ao lado dessas beldades, nomes como os de Maria Euthymia Manso (1959), Stella Maria (1962), Marilda Mascarenhas (1965), Ana Lúcia Correia (1970), Zaida Costa (1975), Jerusa Sena (1977), Laura Angélica (1978), Geórgia Rejane (1979), Silvana Morback (1983), Cristina Malagutti (1984), Marisabel Boere (1985), Morgana Brasil (1986), Cynara Peixoto (1987), Vanessa Blumenfeld (1988), Bianca Rocha (1989), Nathalie Duarte (1992), Isacarla Petri (1994), Christiane de Andrade (1996), Jussara Sena (1998), Halina dos Santos (2000), Oldeane Fonseca (2001), Bárbara Fernandes (2002), Karoline Araújo (2004), Danielle Abrantes (2005), Juliana Pina (2006), Renata Marzolla (2007), Paloma Vega (2009), Rafaela Marques (2010) e Gabriella Rocha (2011) representaram dignamente o nosso estado, se classificando no TOP 15, 12 ou nas semifinalistas.

               Isto tudo pode se traduzir em sonhos; sonhos de crianças, de famílias, de moças. A historia da Bahia é muito bonita no cenário da beleza: as baianas sempre chegaram no Miss Brasil como favoritíssimas a coroa, cetro e manto. Isto em um tempo onde se existia o respeito e a honradez nos certames. Hoje, sob a Coordenação do Sr. ANTONIO MIGUEL, o Concurso nada mais é senão um jogo de cartas e cifras marcadas. Em tempos de outrora, o concurso era realizado com um número expressivo de candidatas advindas da capital e muito mais numeroso com candidatas do interior do estado. Eram os áureos tempos do Balbininho e a arena do Ginásio fervilhava com as torcidas acirradas e as belas mulheres desfilando seus trajes típicos, seus maiôs, seus vestidos de gala. Naquelas ocasiões, vencia-se sempre a mais bela, a mais elegante, a mais preparada e, no Miss Brasil a Bahia chegava "mandando", literalmente.

               Eu, Derivaldo Oliveira, posso falar com propriedade das situações calamitosas e vexatórias porque já passei no Concurso Miss Bahia, por conta da truculência e da intransigência do Sr. Antonio Miguel. Paulo Afonso venceu o Miss Bahia 2010, mas não pensem os senhores e senhoras que a coisa foi fácil não. Comemos verdadeiramente "o pão que o diabo amassou" nas mãos do Sr. Antonio Miguel. É preciso voltar um pouco o tempo atrás e dizer aos senhores e senhoras que RAFAELA MARQUES foi descoberta pela minha pessoa: passeando pelo comércio local, deparei-me com aquela moça alta (1,80m), esguia, elegante e naturalmente bela, o que me levou a convidá-la a participar do Consurso Miss Paulo Afonso. Neste ínterim, Rafaela foi eleita "TOP MODEL SESC Paulo Afonso", mas perdeu o TOP MODEL SESC em nível estadual, em Salvador-BA. Na oportunidade, recebi um telefonema do Sr. Antonio Miguel, que foi bastante enfático em dizer que "…a próxima Miss Bahia está em Paulo Afoso". Eu retruquei e disse a ele que para isso acontecer, ela precisaria passar por todas as etapas, inclusive ser Miss Paulo Afonso, pois o concurso ainda não havia acontecido. Eleita Miss Paulo Afonso, inscrevemos Rafaela no Miss Bahia – à época, a taxa de inscrição era em torno de R$ 1.500,00, mas o Sr, Antonio Miguel mostrou uma "flexibilidade irreconhecível", optando por receber essa quantia pós-concurso. Toda esse insight de bondade viria a se revelar verdadeiramente após eleita Miss Bahia, quando da inscrição para o Miss Brasil. Aí o Sr. Coordenador Estadual se revelou um ser mercenário egoísta, exigindo da Coordenação Municipal do Miss Paulo Afonso uma quantia estimada em R$ 16.000,00 (Dezesseis Mil Reais) e isentando-se de toda e qualquer responsabilidade nesse sentido. O Concurso, em si, foi algo deplorável, realizado da forma mais amadora possível, sem platéia, sem mídia, sem tempo necessário para a preparação (em menos de quarenta e oito horas é praticamente impossível avaliar as candidatas: perfil, postura, comportamento, beleza, técnica de passarela, fluência, etc.), Por muitas vezes o Sr. Antonio Miguel tentou até colocar a Miss Bahia 2010 – RAFAELA MARQUES – contra a minha pessoa, que tudo fiz e não dispensei esforços em vê-la no trono da beleza baiana. Eu, Derivaldo Oliveira, busquei a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e tive todo o apoio necessário e incondicional do Sr. Prefeito, nossos Deputados (Estadual e Federal) e do Exmo. Sr. Governador do Estado, Dr. Jaques Wagner, para a promoção da nossa Miss Bahia, com divulgação, fotografias, viagens, enfim, com o aparecimento da nossa Miss em âmbito nacional, porque o Sr. Antonio Miguel, ao ser questionado pela minha pessoa acerca doa participação da Miss Bahia 2010 – RAFAELA MARQUES no Carnaval 2010 de Salvador-BA., disse não ser necessário e nem importante. Eu batalhei e consegui a participação da nossa Miss no Camarote Planeta OTHON e da Revista Contigo, no Carnaval do Rio de Janeiro. O mais absurdo foi ele dizer que iria conseguir a participação da Miss Bahia 2010 no Bloco Tiete Vips – um bloco que já não mais existia a pelo menos cinco anos. Porém, não se sentindo satisfeito, o Sr. Antonio Miguel em nada colaborou e fazia exigências absurdas, a exemplo da confecção do traje típico da candidata – que queria que fosse feito por costureiros renomados, com um preço de mercado exorbitante, mas que em nada se prontificava em colaborar. Eu, sempre buscando apoio da iniciativa privada e do poder público, tive que trabalhar dentro das nossas possibilidades e da realidade que nos cerca. Isto tudo o incomodava e ele não se fazia de rogado e tentava insuflar na Miss eleita certos conceitos e imagens negativas acerca da minha pessoa, o que não surtiu efeito, para desespero do Coordenador Estadual que, quando da realização do Miss Brasil 2010, se dignou tão somente em me entregar um bilhete de entrada para a platéia, distanciado do palco. Eu, que sempre estive presente e à frente e que em tudo me dispus par vislumbrar a vitória da minha conterrânea, fui relegado a um "ingressozinho" em meio a plateia, enquanto o Sr. Antonio Miguel assistia em um espaço privilegiado o Concurso Miss Brasil 2010. E por falar em Coordenação estadual, é mister colocar aqui o quão desrespeitoso é esse senhor, com a sua produção pífia e desorganizada: à época do concursos, a "Coordenação do Miss Bahia" aloja as candidatas e as coordenações e péssimas instalações de hotéis desqualificados, onde temos que arcar com praticamente todas as despesas, a exemplo do consumo de água mineral, telefone, alimentação traslado, cabeleireiros etc – situação altamente constrangedora e incrédula. Sem total apoio da Coordenação Estadual eu, Derivaldo Oliveira, tratei de "arregaçar as mangas" e eu mesmo confeccionei banners, panfletos folders, guarda-roupa, etc. seria trágico se não fosse cômico: Como prêmio por ser eleita a MISS BAHIA 2010, a Coordenação Municipal ofertou a RAFAELA MARQUES Tratamento Estético Completo, prêmios logísticos (comércio local) e uma Bolsa de Estudos Integral para o Curso de Direito. Eleita Miss Bahia 2010, a Coordenação do Sr. Antonio Miguel ofertou, como "prêmios" à candidata eleita um buquê de flores e um par de brincos!

                Agora, no Miss Bahia 2012, a coisa verdadeiramente veio à tona e já não era sem tempo: todo o escândalo e maldade de anos anteriores foram trampolim para o barril de pólvora que verdadeiramente foi a eleição da Miss Bahia 2012. Não quero deixar transparecer aqui que a candidata da minha Coordenação Municipal – LUANA FLÁVIA /MISS PAULO AFONSO 2012 – teria que ser a favorita do público e do corpo de jurados. Não, não é isso. Quando entramos em uma competição, temos que saber discernir as coisas, com o espírito competitivo, sabendo que temos que dar o melhor de nós, mas entendendo que só uma moça sagrar-se-á campeã. O que não podemos comungar é com o destrato e a sordidez do Sr. Antonio Miguel: em pleno concurso, as candidatas "descartáveis" – e a Miss Paulo Afonso era uma delas – estas eram consideradas cartas fora do baralho: não participavam das entrevistas, não eram ouvidas e nem solicitadas e se mostravam apenas marionetes no teatrinho promovido por Antonio Miguel. As próprias misses já se sentiam minimizadas e ridicularizadas, algumas até ameaçando desistirem e voltarem para as suas cidades de origem – isto tudo no período que antecede a noite final. Foi uma tragédia só: as misses sem chaperona, sem refeição, sem assistência qualquer, sem um comitê de recepção (boas-vindas, imagens, despedidas, etc). Resultado: eu tive que arcar com todas as despesas consideradas básicas e vitais, tais como água mineral para a candidata, traslado dela até o Teatro, alimentação, etc. Isto é ou não é um desrespeito para com a célebre história do Miss Bahia?

               Antonio Miguel não consegue entender que as Misses ali são seres humanos, dotadas de alma e sentimentos; que elas acalentam sonhos. Não os mesmos sonhos de tempos passados, onde "O Pequeno Príncipe" era o livro de cabeceira de todas e, pós-concurso, preparavam-se para o casamento, constituírem famílias e serem mães exemplares. Não, não é mais esse sonho, mas o sonho que perdura até hoje – e isso jamais se fará demodé, por mais que algumas pessoas insistam – é o de serem coroadas MISS, com faixa, manto e buquê de rosas; é o sonho de poder representar bem o seu estado, de defender a bandeira, as cores e a alegria de um povo. Esse é verdadeiramente o "Sonho de Miss" – sonho que Antonio Miguel tenta a todo custo tornar um pesadelo. Para se ter uma idéia, a Miss Paulo Afonso 2012 – LUANA FLÁVIA – está passando por sérios problemas de natureza emocional, pós-concurso, (Miss Bahia 2012, realizado em 26/01/2012), pura e simplesmente pela frieza e destrato desse senhor para com ela. E, igualzinha a ela, tem muitas outras que ainda não conseguiram se recompor diante de tantos absurdos e malvadezas desse senhor. Uma pergunta que não quer calar: até quando teremos que "fazer reverência" a essa pessoa que só tem prejudicado a nossa Bahia? Até quando teremos que acatar as intransigências, a estupidez e o mau-caratismo do Sr. Antonio Miguel, na Coordenação estadual do  Miss Bahia – Concurso hoje que é realizado com um número pífio de candidatas, por conta do descrédito e da desvalorização imposta por este senhor? Foi pesaroso ver a bela GABRIELA ROCHA – MISS BAHIA 2011, no momento da sua despedida, fazer os seus agradecimentos e em momento algum da sua fala citar o nome de Antonio Miguel, Por que será que ela assim não o fez? Afirmo categoricamente que não estou aqui contestando a vitória da Miss Santa Luz , BRUNA DINIZ (Miss Bahia 2012), uma bela moça com grande chances de trazer o título para nosso estado, como também não estou descartando a maneira como essa vitória aconteceu e como "outras derrotas" aconteceram, até porque a Justiça se encarregará disso. O que eu não posso é me calar diante de tantas atrocidades. Isso não farei mesmo, senão estarei desconhecendo a minha identidade.

               Diante da evidências e dos fatos, ressalto que muita coisa ainda há de ser dita, diante de tantas irregularidades e imperfeições do Concurso Miss Bahia, sob a "batuta" do "maestro" Antonio Miguel. Talvez até pudéssemos desenvolver uma dissertação de mestrado, diante de tantas laudas que poderiam ser descritas aqui, mas é preciso dizer que "O MAL POR SI SE DESTRÓI", diz o célebre adágio popular. Para começar, procurarei os direitos legais – e espero que as demais Coordenações Estaduais assim procedam – para ser ressarcido de todos os ônus a mim impostos, que vão desde a Inscrição da candidata, passando pela estadia e chegando até o retorno da candidata ao seu município de origem. Não, eu não vou deixar passar em brancas nuvens: agora, o Sr. Antonio Miguel terá que responder diante da Justiça por todos os males que cometeu e comete à frente da Coordenação Estadual do Miss Bahia.

               Espero, com esse manifesto de caráter particular, plantar uma sementinha na cabeça de todos os amantes dos áureos e honestos Concursos de Miss, e dizer aos senhores e senhoras que não desistiremos, jamais, e que continuaremos nessa árdua, porém, satisfatória caminhada. Não será nenhum "Antonio Miguel" da vida que nos fará esmorecer, até porque esse mesmo Antonio Miguel, a partir de então (não tenho dúvidas) definitivamente será uma página descartada e esquecida no livro da história do Concurso Miss Bahia. A justiça assim decretará e o povo, soberano que é, aplaudirá.

               Espero e confio na Justiça – a de DEUS e a dos homens; que, na terra, a justiça dos homens definitivamente reconheça todos os malefícios, transtornos e desonestidades promovidas por esse senhor e a ele impute a sentença que for de seu inteiro merecimento.

              Muito Obrigado!

 

 

                                                                                                     Paulo Afonso, 07 de Fevereiro de 2012

 

Derivaldo Oliveira

(DERINHO, Coordenador Municipal do Concurso Miss Paulo Afonso-BA)

E-mail: derinhooliveira@yahoo.com.br                                 Fone: (75) 8843.5060 | 3281.9878