Política

mundo

TCU suspende campanha de Moro a favor do pacote anticrime

Peça custou R$ 10 milhões e aponta os principais pontos do projeto de lei que já foram derrubados pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que analisa o texto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Alan Santos/PR

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu suspender a veiculação da campanha publicitária do pacote anticrime do governo Jair Bolsonaro. Lançada na última quinta-feira (3), em cerimônia no Palácio do Planalto, a propaganda foi idealizada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e teve a veiculação suspensa a partir de hoje (8). A peça custou R$ 10 milhões e aponta os principais pontos do projeto de lei que já foram derrubados pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que analisa o texto.

Segundo o governo, as propagandas seriam veiculadas até o dia 31 de outubro. A determinação da suspensão partiu do ministro Vital do Rêgo, após pedido dos deputados federais Orlando Silva (PCdoB-SP), Paulo Teixeira (PT-SP) e Marcelo Freixo (PSOL-RJ), todos integrantes do grupo de trabalho, e pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Na avaliação dos parlamentares, o pacote anticrime “ainda é algo irreal”, não é uma política de governo, mas sim um projeto legislativo, e como tal não pode ser objeto de campanha publicitária institucional.