Saudades do Bizzú, o melhor bloco que Delmiro Gouveia já viu

  • 4 de fevereiro de 2016
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

BIZZU-02

BIZZU-02BIZZU-02BIZZU-02

Com a chegada da festa de momo é inevitável não querer o bloco Bizzú, é como se o carnaval em Delmiro Gouveia não existisse”, diz a universitária de 26 anos e foliã Ivete Dias. Assim como os blocos tradicionais de Delmiro Gouveia a exemplo do Pompeu, Bafo da Cana, Brasileiro, Cordel entre outros, o Bloco Bizzú fez história, principalmente com a juventude. Ele inovou e introduziu na cidade um clima e o estilo dos grandes blocos de carnaval de Salvador trazendo as atrações de lá e também os abadás com as fitinhas de Senhor do Bonfim, além da alegria do povo baiano que se juntou com o alagoano, sergipano, pernambucano e virou essa mistura fantástica de felicidade e irmandade.

Como não lembrar daquele “mar de gente” nas ruas atrás do trio na corda ou na “pipoca” ao som de Ed City, Igor Kannário, Duharem, Chikenna, Pratichika, Lets Go, Ted Ferraz, Massabong Na Net, Golaço, Guettho é Guettho, Fantasmão e Thierry Coringa entre outras atrações? Como não lembrar os milhares de foliões que há 3 meses antes da festa já ficavam na expectativa da chegada do abadá? Queriam saber das cores, dos modelos, das fitinhas. Como não recordar do comércio fervendo com as vendas, das pousadas lotadas, dos restaurantes cheios, dos cordeiros, dos seguranças, da equipe do bloco, dos ambulantes que vendiam os seus refrigerantes e água? Como não lembrar dos barraqueiros, das pessoas mais humildes com os seus carrinhos vendendo as suas balinhas, chicletes e doces para alimentar as suas famílias?

Para o empresário e diretor do bloco, Cristóvão Lopes, o Bizzu era o grande incentivador e a empresa que mais dava lucro ao comércio e aos vendedores ambulantes e gerava emprego temporário em Delmiro Gouveia no período carnavalesco. “Eu ficava muito feliz, me emociono até hoje e lembro que quando terminava a festa uma senhora que vendia com o seu carrinho de doces atrás do trio elétrico e fazia questão de me oferecer um chiclete, dizia: ‘por favor receba eu sei que o senhor não me cobra nada, mas é de coração e é em forma de gratidão, porque é por sua causa e do Bizzú que eu vou garantir o alimento da minha família por um bom tempo’. Isso não tem preço é uma satisfação sem tamanho, para mim já valeu a pena. Eu chegava em casa, cansado, chorava, rezava e agradecia a Deus por me dar saúde e força para ajudar as pessoas”, diz Cristovão.

O bloco começou pequeno e depois já era destaque no meio artístico de Salvador e do Brasil. Quando chegávamos na capital baiana nos escritórios das bandas, perguntavam: “é do Bizzú?” Ganhamos respeito e credibilidade e levamos o nome de Delmiro Gouveia e região para os grandes centros e contribuímos para colocar o destino da terra do pioneiro como garantia de organização e alegria no carnaval.

Cristóvão Lopes, que recentemente organizou a maior festa com recorde de público em plena terça-feira com o Show das Estrelas, com as atrações, As Coleguinhas – Simone e Simária, Samyra Show e Forrozão dos Manos, manda um recado para os Bizzuzeiros: “já estou me organizando para o carnaval do próximo ano com uma nova proposta e atrações que irão fazer jus à grandeza Bizzu que tem o folião mais contagiante do sertão. Em 2017 tem Bizzú indoor com abadás de pista e camarote, vamos fazer uma festa para mais uma vez marcar em Delmiro Gouveia e região, oferecendo condições para todos participarem. Vamos parcelar em até 10 vezes no carnê ou cartão. Com fé em Deus será um grande evento, você será a maior atração e fará parte da nossa história.

Então, agora é contar os dias esperando que chegue logo 2017, porque o Bizzu vem com força total e de cara nova, mas com o sucesso e alegria de sempre. Como diz o seu slogan: bloco Bizzú, todo mundo vai!BIZZU-02