Cidade

mundo

Presidente da Andifes diz que situação de ministro da Educação é ‘constrangedora’

Para Salles, mais do que ter atenção, comunidade acadêmica deve cobrar políticas públicas para a educação do país

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Foto : Metropress

O reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), João Carlos Salles, comentou a situação do ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, que já foi desmentido por três instituições sobre sua formação acadêmica. “Todos estão me procurando querendo uma posição da Andifes sobre o currículo do ministro. Não vou comentar. O que interessa à Andifes é comentar o que o ministro pode fazer e apresentar de política, qualquer que seja o ministro”, declarou, em entrevista à Metrópole hoje (30).

Na avaliação de Salles, a saída esperada de Abraham Weintraub, antigo ocupante do MEC, foi um alívio, mas não representou uma esperança de dias melhores na educação do país. “Estávamos vivendo uma situação de tamanha agressividade, éramos agredidos de forma tão imensa que as pessoas imaginavam que a substituição da grosseria pela polidez resolveria os problemas. Ao contrário. A polidez pode ser mais eficaz em processos de destruição da universidade. Nossa cautela é pensar a política. Esquecer o nome, mas tendo atenção a isso. Não deixa de ser constrangedor o que estamos vendo”, disse o reitor.