Paulo Afonso, beleza do Nordeste e patrimônio do Brasil

<font face=

  • 15 de novembro de 2010
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Paulo Afonso, beleza do Nordeste e patrimônio do Brasil

Foto: Divulgação

 

Ponte D. Pedro II (Ponte Metálica) – divisa com Bahia e Alagoas

Por Julio Cezar*

O Brasil é realmente uma terra fantástica. De pessoas maravilhosas e lugares inesquecíveis, agradáveis, aconchegantes…. Por que ir aos Estados Unidos ou Europa, se temos Paulo Afonso, Salvador, Maceió, Gramado, Amazonas, Cataratas do Iguaçu, um litoral de belezas paradisíacas e uma cultura que revela a alma pura do brasileiro.

Os governos federal, estadual e municipal, devem o quanto antes unir esforços e apostar na vocação da indústria sem chaminé, como é denominado o turismo. O visitante ao tempo em que, se impressiona com as belezas de um lugar também é capaz de observar a deficiência e a ausência do poder público. É este mesmo poder público, quem deve colocar esse paraíso natural na rota das agências de turismo. Aqui temos um grande e promissor destino turístico, bem distante do hoje acanhado turismo registrado.

Confesso que Paulo Afonso é de impressionar, linda, charmosa, aconchegante, como uma noiva em dia de seu casamento… Assim como a sinergia do baiano, Paulo Afonso é uma jovem, com apenas 52 anos, esculpida pelas águas, que nos faz refletir sobre a capacidade do homem e sua engenharia, transformando uma região encravada no semi-árido nordestino, capaz de gerar sonhos e desenvolvimento.

Paulo Afonso é assim: um espetáculo de infinita beleza! A percepção é que ela foi esculpida pela força das águas do Rio São Francisco. A hidroelétrica é de calar qualquer um, tudo é muito bonito. Da lenda do touro e a sucuri, que rendera até Castro Alves, ilustrando a investida do homem para vencer os desafios da natureza que era representada pela sucuri e implantar a usina.   

Os cânions do Velho Chico e suas cachoeiras proporcionam grandes surpresas. Aqui, muitas histórias estão adormecidas como na furna do morcego, onde segundo os historiadores, serviu de esconderijo de Lampião e os seus cangaceiros. Em função dos reparos no bondinho não foi possível ver exatamente esse local, uma pena!

Não muito longe da cidade, fui convidado pelos amigos Giuliano Ribeiro e Anderson de Souza para visitar a casa onde morou a mais conhecida pauloafonsina Maria Bonita (A rainha do cangaço). Diz-se que atualmente a casa da esposa de Lampião fora transformada em museu, abrigando vários pertences da brava nordestina, que trocou a vida simples no interior de Paulo Afonso pelo cangaço. Detalhe, Giuliano é parente de Maria Bonita. Infelizmente não deu, ficará para a próxima.

Também encantam a beleza de suas igrejas. A matriz de Nossa Senhora de Fátima é linda. Já a igreja de São Francisco, toda feita de pedras, lembra as construções erguidas em 1500 sob influência da arquitetura portuguesa. E o parque das mangueiras? Esse é fantástico, seu verde e cores variadas contrastam com a beleza da cidade, que acredito ser uma das mais arborizadas do Brasil.   

Paulo Afonso tem uma excelente gastronomia, uma menu regional e típico como em qualquer lugar na Bahia. E a "bomba baiana", já provou? Êh minha Bahia… Aqui também tem figuras especiais, como o Pelé. Bom baiano, franco, sincero e positivo. Fala o que muitas vezes gostaríamos de dizer, mas… Além de suas inúmeras virtudes, Pelé tem uma que o destaca: é um grande amigo dos seus verdadeiros amigos.

Cuidem de Paulo Afonso, zelem desse lugar maravilhoso porque essa cidade tem vida, alegria e pulsa desenvolvimento. Paulo Afonso é um patrimônio dos nordestinos e brasileiros, que um dia, quem sabe, poderá ser meu próximo endereço de morada com a minha Alexandra e Amelhinha. Como disse certa vez o engenheiro e carioca, Alves de Souza, primeiro presidente da CHESF ‘…não escolhemos onde nascemos, mas escolhemos onde queremos viver e morrer…’. 

Aos amigos Giuliano, Kátia, Clarinha e Giulia; ao Anderson, de Souza, Creuza e Cauanderson; Pelé (do qual passei a condição de admirador), Birusco (professor e músico de grande habilidade) e sua Bárbara; ao Chicó (paparazzi), enfim, a todos vocês, obrigado por tudo. Vamos em frente, levo comigo a energia boa do povo pauloafonsino.

Grande abraço de Julio, Alexandra e Amelhinha.

Voltaremos.    

*é jornalista e radialista profissional alagoano e especialista em docência no ensino superior.